A Decisão!

"Se podemos sonhar, também podemos tornar nossos sonhos realidade", Walt Disney

domingo, 11 de outubro de 2009

A estrada da vida...


Por vezes dou por mim a sentir que nada sei...
que por mais que eu tente avançar em frente.... evitando as curvas e os cruzamentos mais estranhos... dou por mim no meio de mais uma encruzilhada da vida...

dou por mim novamente a pensar... a pensar demais... a pensar que desistir será a ideia mais inteligente... a ideia mais racional... que por mais que tente, a estrada onde circulo é tudo menos uma auto estrada limpa e simples... sinto que a bendita estrada está sempre em constantes obras...

Dou por mim a tentar entender... o que me está a escapar....
a tentar entender o que falta... a tentar entender e perceber para que lado

esta estrada vai... e acima de tudo... qual o destino final dela....

E sempre que penso... chego à conclusão que... a bendita estrada está cheia de portagens...

eu sou da opinião que as estradas com portagens apesar de serem mais caras são melhores, não se apanha trânsito ou pelo menos apanha-se muito menos trânsito que se apanharia numa IC19 em hora de ponta... e são supostas serem direitas, rectas e sem encruzilhadas complicadas...

mas...
e quando esta auto estrada faz parte da nossa vida?

E quando sentimos que a nossa vida é uma autêntica encruzilhada de estradas, estradinhas e auto estradas e que a regra da direita... nem sempre se aplica?

O que fazer numa situação destas?
Inverte-se a marcha ou ... tenta-se chegar ao destino final?

Confesso que....
consoante os dias e as horas e os momentos... umas vezes sinto que o mais inteligente é desistir, é inverter a marcha e deixar a estrada desimpedida para terceiros carrinhos...

outra vezes... sinto que o que é importante é a viagem e não o destino final... que o destino final muda consoante o momento, o dia e a hora em que se faz a escolha... e que... as portagens da vida são como as da auto-estrada... ninguém gosta, ninguém quer pagar mas... definitivamente o caminho mais a direito e com menos possibilidade de percalces....


Por vezes sinto...
que por mais que cumpra o limite de velocidade da bela da estrada... estou constantemente a ser perseguida por um polícia virtual... que constantemente avalia a minha condução em todas as curvas e encruzilhadas... que à primeira contra-ordenação que eu fizer me manda parar com um apito estridente...

que parece que está à espera pacientemente que eu faça algo de errado... que me persegue na sombra à espera que eu carregue sem querer no pedal da direita e  acelere dali para fora...

sei que tenho que confiar na condução.... na estrada....
sei que tenho que confiar que eu tenho capacidade para conduzir nesta estrada... que não posso ter medo nem de ruelas estreitas nem de camiões grandes ao lado....
sei que tenho que confiar que mesmo numa auto estrada aparecem viadutos, pontes e curvas....

a minha questão é... será que tenho capacidade para chegar ao fim da estrada sem bater no separador central....? Será que tenho capacidade de... mesmo batendo.... conseguir controlar o meu carro de forma a não capotar....? E será que... nos acidentes que ocorrem nesta estrada da vida.... os bombeiros chegam ao primeiro telefonema?  



Outras vezes...
sinto que deveria ir a pendura.... esquecer a vontade de conduzir... esquecer a ânsia de controlar a própria vida e ... apenas... aproveitar a viagem ... e ... em silêncio olhar o por do sol no horizonte longíquo e ... não querer saber do destino... não pensar no destino final da estrada mas... de uma vez por todas... aproveitar a viagem.... e desligar-me de toda a condução...

Bom início de semana!
:)

65 comentários:

  1. Com a facilidade com que me perco, é mesmo importante aprender a apreciar o caminho, dado que o destino final pode estar mais longe que o inicialmente previsto.

    E depois, adoro por vezes conduzir sem destino. Só andar, existir, estar, sem pensar em outra coisa senão uma condução correcta e uma musiquinha no rádio. Mais nada.

    Não acredito que te espetes contra o separador central. Não acredito que te despistes. Tem calma e aprecia a viagem.

    ResponderEliminar
  2. lol Abobrinha...
    acho que sim... que tens razão... no separador central possivelmente não irei bater ...

    agora...
    o apreciar a viagem sem destino final... o facto do destino final ser uma incognita... confesso que é algo que me deixa apreensiva...

    :)

    ResponderEliminar
  3. Muitas vezes sinto-me como tu...

    A vida é uma estrada cheia de encruzilhadas onde em cada instante temos bons bocados de caminho seguro e calmo e temos instantes de perfeito caos. Mas o caminho faz-se caminhando, tendo os encontrões e acidentes e recuperação desses incidentes todos.

    No fim chegaremos todos ao mesmo lugar (que depende de como encaramos o nosso ser metafísico e como tal tem muito de interno para cada pessoa).

    Se o caminho é aleatório, ou se temos um grande controle sobre ele, ou se um ente supremo gere esse contexto isso é que é mais difícil.

    Eu olho para a minha estrada e procuro segui-la com base naquilo que procuro que seja o meu caminho e a minha meta, tendo a noção que muitas vezes tenho de fazer pequenos desvios: porque se torna mais agradável a estrada ou porque um pequeno (ou grande) empurrão se apresentou e eu derrapei para fora do alinhamento que me propuz.

    Mas isto já é muita filosofia.

    Uma boa semana e beijinhos...

    ResponderEliminar
  4. Eu também tento seguir a minha auto estrada Chinook ...

    tento acima de tudo não alterar o meu rumo mas.. por mais que eu tente... obviamente que a vida me altera o rumo...

    obviamente a vida não é algo que se consiga controlar ao ínfimo detalhe... dou por mim sim em encruzilhadas as quais não esperava... se o caminho se torna pior apartir daí?

    Não sei...
    acredito que se me deixar ir... o caminho até seja bem melhor que aquele que eu criei mentalmente mas... o facto de não ser o caminho original traçado torna-se dificil não o seguir...

    aquela famosa frase do...
    "mantêm-te no plano" é algo que eu insisto em ter...

    estupidamente por vezes...

    :)

    ResponderEliminar
  5. Linda

    O destino final não se controla. O ponto onde eu estou a vários níveis não está nem perto do que tinha traçado para mim porque falhei vários caminhos que queria percorrer ao longo dos meus 35 anos... mas o importante é manter os meus princípios. Isto não me deixando ser pisada, claro, porque os santos vão para os altares e eu não tenho aqui nenhum perto...

    ResponderEliminar
  6. Pois não minha linda...
    o destino final não se controla mas...

    eu sou taurina...
    gosto sempre saber onde é que estou e para onde a estrada me leva... mesmo que a meio do trajecto eu resolva sair numa saída diferente...

    :)

    ResponderEliminar
  7. É simples: cinto de segurança posto e... prego a fundo! :D

    ResponderEliminar
  8. Sempre simples e directo menino Bloguótico :)

    ResponderEliminar
  9. Sugestão de filme para ver: "Death-proof"!! Não me lembro do título em português, mas era um filme do Tarantino em que um tipo artilhava um carro todo de modo a bater de frente com um carro cheio de moças lindas e matá-las todas de acidente.

    Um dia correu mal: as 3 gajas não só não foram mortas como inverteram a perseguição e mataram o gajo. Ponto alto do filme: o ponto em que a personagem da Rosario Dawson responde à pergunta "o que é que vamos fazer" com um simples e descontraído "vamos matá-lo!".

    P.S: Esqueces-te que eu sou tourinha como tu. Mas sou mais flexível. Não sei se por feitio se por circunstâncias ou ambas.

    ResponderEliminar
  10. Um execelente iníco de semana para ti... e cuidado com os buracos nas estradas, são esses que causam alguns acidentes.

    Beijoca!

    ResponderEliminar
  11. Ai credo!
    Nem me fales em Tarantino...

    ainda tenho pesadelos com o sacanas sem lei!

    ResponderEliminar
  12. Muito verdadeirro Pepita...

    os buracos na estrada sao mesmo perigosos!

    jinhos

    ResponderEliminar
  13. Por muito que te esteja a custar conduzir...não optes deixar-te levar de táxi. Além de sair caro, muito provavelmente leva-te pelos caminhos menos indicados.

    Segue o que sentes (isto não era um slogan?).

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Quando nos enfiamos por estradas secundárias, o que se deve fazer é ir com cuidado e com mais atenção, agora desistir, isso não,nem que andes a 20 à hora, e nem que decidas ir para a auto estrada o destino final está lá sempre....os medos muitas vezes impedem-nos de chegar a sítios que compensam os caminhos...

    ResponderEliminar
  15. conheces uma frase mais ou menos assim:
    ‘A estrada para o sucesso não é uma recta. Há uma curva chamada Fracasso, um quebra-cabeças chamado amor, pneus furados chamados Emprego. Mas, se tiveres um bom motor chamado Determinação, um seguro chamado Fé e um motorista chamado Amigo, chegarás a um lugar chamado Felicidade.’

    acho que diz tudo :)
    beijinho

    ResponderEliminar
  16. Vitor (sem nick)...
    não está a custar-me conduzir... sabes que eu adoro conduzir....

    a questão é... saber exactamente para onde uma auto estrada nova nos leva....

    :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. 20 à hora Vampire Woman?

    Nunca....
    por pior que eu conheça a estrada... o limite de velocidade nunca será tão baixo... por isso... a questão do separador central :)

    Jinhos

    ResponderEliminar
  18. Eu Mesma, vou ser directa: queres viver ou sobreviver?

    Por opção, encostei o meu carro na primeira estação de serviço e decidi ficar a beber um bom café e a fumar um cigarro.

    Mas tu? Ainda tens muitos kms para calcorrear na auto-estrada da vida.

    Beijo enorme

    ResponderEliminar
  19. Ai Ni...
    essa ideia do café e do cigarro parece-me excelente mas...

    a droga da estrada ainda não tem estações de serviço... é demasiado recente :)

    Jinhos

    ResponderEliminar
  20. Eu já fiz inversão de marcha porque achei que a estrada estava a ser demasiado tortuosa e não levava a lado nenhum e hoje pergunto-me a toda a hora se tomei a decisão certa. Se pudesse apanhar novamente aquela estrada, tentaria conduzir com precaução redobrada, mas não voltaria a desistir dela.

    beijinhos e boa semana!

    ResponderEliminar
  21. Ok... vou contar-te um segredo! Algures nesse carro, há um botãozinho pequenino... Carregas... o tecto abre-se e saem três pás enormes, como uma hélice gigante, não te preocupes porque ninguém vê... não largues o volante! Deixa subir, subir e agora tenta ver tudo lá de cima... Da melhor prepectiva.
    Um beijinho!

    ResponderEliminar
  22. sim Ana...
    o voltar para trás por vezes não é a melhor decisão...

    o ir em frente ... por vezes tem custos acrescidos mas pelo menos... ficamos a saber exactamente quais são :)

    Jinhos

    ResponderEliminar
  23. um carro voador Inês????

    eis uma grande opção às encruzilhadas.... passando por cima delas deve ser bem mais fácil!

    :)

    ResponderEliminar
  24. Ena! Uma referência ao inspector Gadget! Boa!

    ResponderEliminar
  25. Ola! Gostei mesmo muito desta imagem da estrada. Descobri este blog há dias e gosto imenso, parabéns! Vou passando por ca! =)

    No fim de contas, percorrermos esta estrada é uma viagem que fazemos todos os dias... mais importante que o ponto de chegada é a viagem e si, e ainda mais fascinante a paisagem que temos à nossa volta. Depois, podemos ir parando, sair do carro, saborear o que se encontra... é fenomenal =) beijinhos e ate breve

    ResponderEliminar
  26. Olá António Valério..
    obrigado pelo elogio :)

    Gostei do conceito da viagem e da paisagem...

    é algo que normalmente nem reparo... a paisagem... raramente olho... e ver então.... estou sempre preocupada com o caminho e com o destino que de facto perco o melhor do passeio :)

    Até breve!

    ResponderEliminar
  27. Vale a pena pensar no percurso?

    Raras são as vezes em que terminamos pelo caminho que iniciamos a viagem.
    O melhor é aprecisar a paisagem, o resto logo se vê ;)

    beijinhoss
    uma semana feliz

    ResponderEliminar
  28. Eu escrevi que nem que tenhas que ir a 20, não que vás, o ponto fulcral era não desistir...

    ResponderEliminar
  29. minha linda vampirinha...
    jantamos amanhã???

    vá lá......
    tenho saudadinhas tuassssssssssss......

    ResponderEliminar
  30. Também eu tenho muuiiitas!!!! Sabes uma coisa? Vamos pois, vamos fazer como fazíamos hà uns tempos, jantar, um copo, e falar, falar, falar, rir e divertirmo-nos!!!!

    ResponderEliminar
  31. combinado então!!!!!!

    jantar, café e copo!!!!!!!
    ligas amanhã quando acordares?????

    (meio da tarde portanto!)

    claro que... a combinação será algures nos mesmos locais de sempre :)

    ResponderEliminar
  32. Claro que deves apreciar mais a viajem que o destino (já dizia o senhor chinês…que ninguém sabem quem é) porque o destino és tu que o crias e vais criando-o pró essas estradas e essa viagem que vais fazendo na tua vida. Que muitas vezes temos de parar em estações de serviço é certo para reabastecermo-nos de energia, força, coragem, vontade, de vida e logo recomeçamos a viagem pelo mesmo caminho. Embora muitas vezes essa estação de serviço esteja muito longe e demoremos imenso para lá chegar o certo é que chegamos e que mais tarde já recompostos iremos voltar a transitar nessas estradas que a nossa vida nos dá.
    Por isso na próxima estação para e recarrega-te com tudo de bom para iniciares retomares essa viagem e vai devagar não queremos que te espetes contra o separador central :).

    Beijos

    Ps – sim entusiasmei-me com a analogia das estradas de Portugal :P

    ResponderEliminar
  33. estou a ver caranguejo...

    o teu entusiasmo relativo a estradas de portugal e mais concretamente a estações de serviço é notório :)

    Jinhos

    ResponderEliminar
  34. E porque não conduzir sem destino? Simplesmente ir sem pensar muito? Às vezes é muito bom...

    beijinho***

    ResponderEliminar
  35. Confesso Silvia que...
    é algo que eu por norma não faço...

    conduzo sempre com um destino final.. mesmo que durante a vida resolva alterar o itenerário...

    sou uma pessoa com uma organização mental exagerada... preciso sempre de saber para onde vou... para puder ter a opção de não ir...

    :)

    ResponderEliminar
  36. Minha linda

    Ausente mas vou espreitando o teu cantinho, deixa-te ir pela estrada fora e aprecia a paisagem em redor, cuidado com a velocidade e com os buracos, mas isso já tu sabes!!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  37. Mister Peter...
    algum dia convido-o a ser conduzido por mim....

    depois logo avalia a autenticidade da minha carta de conducao....

    ResponderEliminar
  38. Ai Bruxinha....

    nos e os buracos nas estradas... quanto mais desviamos mais.... nos enfiamos neles!

    ResponderEliminar
  39. Mas eu já fui conduzido por ti. Se calhar não te lembras porque eu ia no banco atrás do teu. Não me viste, foi isso.

    ResponderEliminar
  40. E que tal tirares a carta para não andar assim tão aflita...
    Deixa de conduzir uns tempos, arrumas as idéias, estudas o código, fazes exames e estás apta a conduzir...
    Entretanto, vais ter com a NI...
    Um café e um cigarro ajudam sempre a elevar os níveis de lucidez...
    Uma óptima semana... de preferência sem grandes manobras e com muitos "After Eight"... HAHAHA
    Kiss...

    ResponderEliminar
  41. Lembro-me sim Mister peter mas..

    além de ires no banco de trás... em que a paisagem e o stress são completamente distintos... estavas hiper caladinho na presença de 3 gajas fantásticas!!!!!!

    :)

    ResponderEliminar
  42. VCosta...
    eu tenho carta de condução há mais de 10 anos.....

    mas sim...
    cafe e cigarro é uma das melhores actividades que podem ser aconselhadas ;)

    ResponderEliminar
  43. Então qual a razão para ter medo da polícia?! hahaha

    ResponderEliminar
  44. excesso de velocidade VCosta...
    excesso de velocidade :)

    ResponderEliminar
  45. gostei muito. Caminho e destino, always straight ahead

    ResponderEliminar
  46. EM!
    Como não verifiquei as observações que me precedem, espero não me repetir.
    Ora... um rafeiro com 10 anos já passou por muito, é um verdadeiro sábio. Uma óptima comparação. :)
    Toma atenção que nas auto-estradas não se pode efectuar inversão de marcha... é óptimo que sintas um policial virtual por perto, obriga-te a um cuidado redobrado na condução… apura o sentido de sobrevivência. Presumo que sejas boa condutora, cuidadosa, não me parece que te espetes no separador principal... um toque ou outro, ou mesmo uma súbita paragem é normal acontecer... tal como é normal assistires a acidentes de outros condutores. Não te preocupes muito, não penses demasiado, estou certo que em caso de acidente ou avaria surgirá logo logo um bombeiro e/ou um pronto socorro para te auxiliar a prosseguir a viagem.
    Velocidades demasiadamente reduzidas ou elevadas são desaconselhadas... nas reduzidas não progrides, toda a gente te ultrapassa. As aceleradas não te darão tempo para precaver algum problema que surja no caminho, nem aprecias a paisagem e/ou a companhia... tal como, poderás passar por alguma estação de serviço, que tanto jeito dá para retemperar as forças e cuidar do veiculo... também te poderá impedir de saíres da auto-estrada. Por vezes, é bom visitar um local de teu agrado... sabendo que mais tarde poderás retomar a viagem. Qual a velocidade recomendada?... consoante o piso, a sinuosidade, as condições atmosféricas e a condução dos outros automobilistas, por vezes acelerarás um pouquinho, noutras reduzirás.
    Se serás tu ou o teu acompanhante a conduzir... que tal os dois? A melhor forma é dialogarem, confiarem e partilharem a viagem... custará muito menos.
    Agora... sempre em frente, aprecia a viagem. Beijos. :)

    ResponderEliminar
  47. Credo JP....
    o trabalho que me dás rapaz... a ler isto tudo...

    ResponderEliminar
  48. Estás em primeiro lugar a comparar-me a um rafeiro de 10 anos?????? Nem uma linhagem....?

    é preciso ter lata...
    enfim...
    continuando....

    sentido de sobrevivência apurado? ... sim... muito até... com um nível de desconfiança acrecido elevado...

    mas sim... modéstia à parte sou muito boa condutora mas... o separador central é sempre um risco a altas velocidades... :)(odeio conduzir devagar....)

    quanto a conduzir acompanhada....? mas quem disse que a viagem tinha companhia... :)

    lollllll

    Jinhos

    ResponderEliminar
  49. Eu Mesma

    Um rafeiro é por norma mais resistente e mais alegre que um cão de raça. Às vezes os de raça são todos pipis e têm doenças de pele, olhos, surdez, ossos, e tudo o resto que possas imaginar.

    Por outro lado... 10 anos em idade de cão é muito, caramba!

    ResponderEliminar
  50. Abobrinha...
    eu quero la saber que os rafeiros sejam mais saudaveis que os pipis....

    ora esta...
    lá achas que eu sou mulher vulgar??????

    :)

    ResponderEliminar
  51. EM!
    não gostas de rafeiros?
    Mais uma diva... ;)

    Se falei em acompanhante a culpa foi tua.. não tivesses escrito "pendura". :)

    ResponderEliminar
  52. pois tens toda a razão JP...
    existia um pendura na realidade... era mesmo eu :)

    cães...
    pois... eu e os cães não somos propriamente os melhores amigos uns dos outros :)

    ResponderEliminar
  53. Eu Mesma

    É assim: nós é mais gatos! Os cães enervam-me um bocado ao fim de um tempo. Excepção feita eventualmente ao que estava ao colo de um menino ontem e a quem eu ajudei a fazer festas (ao cão, infelizmente não ao menino).

    E gatos prefiro mil vezes os rafeiros, embora os de raça encham mais o olho.

    Agora tu és uma gata de classe! Seja qual for a raça ou ausência dela!

    ResponderEliminar
  54. Seja qual for o caminho que escolhas, nunca te esqueças que há sempre amigos:
    - disponíveis para uma boleia...
    - dispostos a mudar um pneu...
    - com um mapa...

    ou simplesmente dispostos a embarcar na viagem sem rumo ou destino para poderem aproveitar a tua companhia.

    Um beijão grande.

    P.S. para Alter não há portagens ou trânsito...

    ResponderEliminar
  55. parece-me bem Abobrinha...
    eu ser uma gata com classe... :)´

    eu cá...
    não tenho animais nenhuns em casa :)

    ResponderEliminar
  56. Minha linda Miuda...

    em primeiro lugar para Alter não á transito sim senhora mas... temos portangens até meio mas... penso que o caminho não tem assim tantas curvinhas :)

    Quanto aos amigos... sim.... vocês têm sempre um mapa à mão... quanto a mudarem pneus... já duvido mais!!!!

    mas sim linda.... uma viagem sem rumo contigo é simplesmente uma excelente opção :)

    Beijos grandes

    ResponderEliminar
  57. Gostei!...
    Ou como uma viagem pode-se transformar numa bela prosa.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  58. Ainda bem que gostaste da leitura Gajo Apenas...

    gosto de agradar os meus leitores com extractos da minha própria vida :)

    ResponderEliminar

Deixa o teu comentário....
talvez a tua pequena decisão...

a nossa vida é feita de pequenas decisões que se transformam em grandes... por isso ... avança!

Possivelmente irá ter uma resposta minha... sim.. possivelmente vou-te responder...

E não te esqueças ... passa por cá novamente! És sempre bem vindo!