A Decisão!

"Se podemos sonhar, também podemos tornar nossos sonhos realidade", Walt Disney

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Desafio... "Acrescenta-me um ponto!"

Ora bem...
Este desafio foi-me lançado pela Algodão Doce e ... vou tentar cumprir as expectativas...

Esta rubrica surge da necessidade de renovação e intensificação do espírito de unidade e imaginação da blogosfera e pretende que cada um dos bloguistas seleccionados seja autor de um parágrafo de um texto realizado em conjunto por vinte bloguistas.

Assim, passamos a enunciar as seguintes regras:

Regras da Rubrica "Acrescenta-me um ponto!":

1 - O texto, constituído por vinte parágrafos, terá início no blogue "O Sabor da Palavra", segundo o seu autor Gonçalo Cardoso.

2 - Cada bloguista terá direito a um parágrafo de texto com o máximo de cinco linhas.

3 - Após a realização do parágrafo respectivo, cada bloguista terá que seleccionar outro que cumpra a continuidade do texto segundo as regras mencionadas.

4 - Cada bloguista terá o limite máximo de três dias para realização do parágrafo, estando sujeito a desclassificação da rubrica e selecção de novo bloguista por parte do seu autor.

5 - Cada bloguista assinará o seu nome e respectivo blogue na lista dos participantes.

6 - O último participante ou autor do vigésimo parágrafo, finalizará o texto e partilhará com o autor do blogue "O Sabor da Palavra" para a sua divulgação no blogue inicial.

7 - Sejam criativos.

E tudo começa assim…

"Ao fundo ouvia-se o barulho dos pescadores na lota de Aveiro. Mais perto a maresia de Agosto percorria o nosso rosto e o teu sorriso revelava o reflexo da luz solar sobre o mar. A areia fina e molhada envolvia os nossos pés e, de frente um para o outro, estendias-me a mão salgada e preparavas-te para a mais doce revelação..."

"Pensava, enquanto o Sol se punha diante dos nossos olhos... Quão bela é a profundidade de um sonho?! Tiveste medo. Não te revelaste. Mais uma vez, o tempo esvaía-se nas pegadas que se apagam. Tal sangue, tal sofrimento. Larguei-te a mão e prometi a mim mesma que nunca mais ficaria à espera. Chamaste por mim...."

"É sempre complicado quando a vida já é muita e as histórias pesam em vez de preencher... Mas o teu olhar preenchia-me como os fados cantados em noites sobrenaturais e eternas, e a tua boca queria falar, queria dizer, queria murmurar... Diz, pedi eu, diz... "

"Olhas-me nos olhos e acaricias-me as covinhas. Invade-me uma sensação de calor. Pousas os teus lábios nos meus sem dizer nada. A doçura faz-me esquecer, por um instante, as resoluções. O meu coração dispara, desata aos pulos em silêncio. Levas a mão ao bolso e retiras uma pequena caixa.

- Não posso aceitar um presente teu - digo-te baixinho. - Lamento muito. Não tornes as coisas ainda mais complicadas. "

"Ele segura-lhe na mão e eleva-a para junto da sua de modo a tocar na caixinha que ele trouxe para lhe oferecer. Nisto ela fica apreensiva, olhando para a sua mão e retomando o olhar para ele uma vez mais, mas desta com uma expressão de dúvida e angústia. Ele já conhecia bem esta expressão e retomava-lhe um olhar de confiança e de uma ternura irresistível, à qual ela não poderia recusar... "

"No entanto olhando bem fundo dos seus olhos ela recusou ao mesmo tempo que delicadamente pousava um beijo na sua face. Saiu dali a correr, as lágrimas correndo livremente pelo seu rosto. E ele ali ficou sentado, segurando a caixinha nas mãos. Olhou o mar mais apelativo do que nunca e pensou "E porque não?" ao mesmo tempo que se levantava em direcção às ondas que o convidavam a entrar."

"A fuga é sempre mais fácil. O sonho por realizar. O "se" que nos marca e tanto nos impede, como nos impele a agir. E se desta vez abrisse a caixa de Pandora? E se lá dentro estiver a felicidade? A luz momentânea do Sol ou o correr entre a areia e a vagas do mar?

Abdico das lágrimas. Respiro fundo... "

"Abraço o mar com a força de quem ama profundamente e finto-lhe as ondas na tentativa de encontrar uma resposta ao que me queima por dentro. A tal pergunta que dói e que sei ser mais dirigida a mim mesmo do que a ela. E Agora? pensei. Saí da água com o sal a queimar-me o corpo e abanei a cabeça como para afugentar pensamentos desagradáveis. Atrás escuto uma voz doce e rouca... "

"Ainda tentando recuperar das tormentas, que por longos minutos me povoaram a mente debaixo da água cristalina, viro-me lentamente para responder ao chamado da voz doce e rouca nas minhas costas. O sol ofusca-me, mas lá estavas tu de rosto iluminado. Afinal, as tuas lágrimas perderam-se no caminho das dúvidas e abriram um sorriso sem hesitação, na tentativa de resgate de uma última oportunidade:

- Diz!… - e mais uma vez proferiste a palavra num murmúrio, quase suplicante."

“Sorri! Aproximei-me junto do teu medo e poisei a caixa na palma da tua mão. O bater do teu peito, roubava-me o respirar que esperava por algo mais que o ar. Preso nas palavras e num tom trémulo de esperança, disse: - Ainda não vi! Queria ver contigo.

Indecisa entre a vontade de um sim, assombrado pela recente perda, e a vontade de um não, apavorado pela impotência de ser possível, revelaste um “abre” embebido em lágrimas.

O vento, que soprava entre as ondas dos teus cabelos, sussurrava-me os infindáveis cenários.

- Positivo! – Exclamei ao ver o resultado.”

"Senti o que deve sentir alguém quando vê uma coisa assim: o céu caiu-me em cima da cabeça e o coração palpitou junto à boca. Os meus olhos olharam para os teus, à procura de uma reacção - uma que fosse- que me desse uma pista sobre o que sentes também. Vi um mundo novo no teu olhar, uma esperança, um alento. E depois olhei em redor e a praia inteira devolveu a minha inquietação. Lá longe ouviam-se os barulhos na lota e os motores dos barcos a passar. O farol observava-nos, altivo e sobranceiro, como sempre..."

“Fechei os olhos. Senti de novo os medos a enrolarem-me a alma, a fragilidade de algo tão desejado colou-se na pele, as pernas fraquejaram.

E agora? Pensei. E agora? Sinto-me tão pequena e tão cheia deste receio, desta incerteza que me consome, deste medo de um futuro tão desejado quanto temido por tudo o que já havíamos passado.

Abri os olhos e fixei-te. O teu olhar abraçou-me e a tua mão procurou a minha suavemente.

Olha para o mar - diz-me em tom suave e rouco -, lembra-te que o barquinho da Esperança consegue navegar mesmo em águas tumultuosas… desta vez vamos conseguir.”

“Entre o aconchego do abraço e o conforto do corpo junto ao dela, lágrimas rolavam-lhe pela face. A revelação na caixa. A felicidade tantas vezes adiada, estava agora nas suas mãos. Sentiu um nó na garganta. “Não posso voltar atrás”, pensou, “lutei e sofri muito para o conseguir. Há muita gente envolvida. Muita confiança depositada em mim”. Sentiu-se sufocar pela angústia, o coração apertado. Sentiu náuseas. Olhou-o nos olhos e diz-lhe com a voz embargada “Aceitei o lugar na AMI, parto na próxima semana para o Sri Lanka…”


" Parto... e parto sozinha. Afinal a Tua companhia era imaginação minha. Nunca entendeste a verdadeira razão e muito menos a cor do mar onde mergulhavas confiante... o (a)mar não é teu. Nunca foi. Precisamente por isso, não soubeste que o (a)mar te retribuía a vida que querias ter. Tudo te pareceu sempre certo, afinal o mar só tem marés cheias e vazas, não te lembrou que entre umas marés e outras Ele sempre existiu... Lamento vou (a)mar quem precisa. Vou ser amada. Tenho o coração cheio de espuma... espuma essa que nunca viste... e era Tua..."

"Parto... mas nunca sozinha... Parto sempre com a imaginação daquele momento junto ao farol.... Parto sempre com a imaginação da tua recusa em quereres aceitar aquela verdade diferente daquilo que sempre imaginaste para ti... dizem que nunca se pode perder o que nunca foi nosso... sim... dizem mas... eu sei o que foi meu e sei... e sinto que foste meu sim.... os olhos nunca mentem mesmo quando os lábios falam algo oposto... 
Parto sozinha sim mas... acompanhada com a sensação de já foste meu uma vez... e quem o foi uma vez... poderá sempre ser mais vezes.... também dizem ... "


E a história continua...

Lista de Participantes:


1 - Gonçalo Cardoso (O Sabor da Palavra)

2 - Eli (E o amor acontece?) Dantes "Isso Agora... :)" ou "Eu Sou Nómada"!...

3 - Ana (Construir... Sorrindo)

4 - Myosotis (Myosotis)

5 - Fatinha (Para lá das lentes)

6 - Poetic Girl (Just Me)

7 - izzie (Unleash your thoughts...) [Peço desculpa pela demora. Rosnem à chefe...]

8 - Susana (Ondas e Devaneios)

9 –Sus (Suspiros da Alma)

10 – Jorge (Santo&Pecador)

11 – Star (Pocket full of stars)

12 – Blueangel (Blueangel)

13 – chrysaliis (Chrysaliis)

14 – Apenas Eu (Algodão Doce)

15 – Pequenas Decisões (Eu Mesma)

16 –

17 –

18 –

19 –

20 –

E a história continua... no blogue da http://fadadosbosques.blogspot.com/2011/02/o-banho.html Fada ! 

:)

24 comentários:

  1. Esta é uma das iniciativas que mais aprecio.

    Na maior parte das vezes resulta um excelente texto e este, sem qualquer dúvida, está no bom caminho. Vai ser interessante saber o final.

    ResponderEliminar
  2. Vamos ver agora o rumo que a Fada lhe dá :)

    ResponderEliminar
  3. Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    Lol

    No que tu me metes!!!

    (Não gostasse tanto de ti, miúda, nem sabes o que te aconteceria!!!)

    Ok, desafio aceite...
    (Mas não hoje... Amanhã, talvez...)

    Beijitos :)

    ResponderEliminar
  4. Vá lá fadinha ....
    a história está num ponto fantástico :)

    amanhã....
    beijos!

    ResponderEliminar
  5. e não fosses tu mulher de aceitares desafios literários!

    :)

    ResponderEliminar
  6. Com certeza será um trabalho de equipe maravilhoso...
    Até onde eu li a emoção aflorou de forma surpreendente!
    Um abraço carinhoso

    ResponderEliminar
  7. Obrigado Tatiana :)
    Tb aguardo novidades :)

    ResponderEliminar
  8. :))) ai.... não queria estar na pele da Fada... loool já "me vi e desejei" para sair do ponto onde me tinham deixado a "batata quente" lol

    Beijos!

    ResponderEliminar
  9. Chrysaliis... Obrigada pela solidariedade!!!

    Meninas, desafio aceite, missão cumprida: está publicada a continuação!

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  10. Ai chrysaliis... até parece :)

    Até nos saímos muito bem!

    :)

    ResponderEliminar
  11. Já Fadinha?

    Assim é que é mulher! Não espera!!!!

    :)

    ResponderEliminar
  12. Devo dizer que gostei das ilustrações do conto, e que a história está cada vez melhor...
    Vou ao próximo! :)

    Beijos e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  13. Meninas e meninos, a Mag já publicou (e começo a achar quase "injusto" a história estar prestes a acabar...)

    http://laranjapreto.blogspot.com/2011/02/desafio-acrescenta-me-um-ponto.html

    Enjoy it :)

    ResponderEliminar
  14. Olá adorei a "volta" que deste ao texto :) deixaste falar o teu lado doce.
    Bonito o teu parágrafo. Obrigada por teres acrescentado mais um ponto no conto :)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  15. Obrigado eu pelo convite Apenas eu :)

    ResponderEliminar
  16. Este texto era de facto digno de analise psicológica...vê-se perfeitamente quem já passou pela dor, quem se recorda bem demais dela, quem tenta passar à frente e quem a prolonga....O detalhe tão bem explicado que só quem sabe o que é consegue descrevê-lo tão bem...e por aqui me fico.

    ResponderEliminar
  17. Bem Vampirinha...
    Até tenho medo de saber... em qual dos itens eu me insiro...

    :)

    Beijos mas... espero que tenhas gostado!

    ResponderEliminar
  18. Já venho a seguir a histária. que é linda.
    E quase o melhor é ir descobrindo blogues fantásticos. :-)

    Vou á próxima leitura:-)

    ResponderEliminar
  19. Lendo o comentário da Vampire Woman, não pude deixar de esboçar um sorriso, por também eu ter tido a mesma percepção... escrito por 20 pessoas diferentes, muitas delas sem se conhecerem entre si, seria giro ver uma análise externa de cada parágrafo... :) mas isso sou eu que gosto de analisar tudo (até demais, por vezes lol)

    Não haverá por aí alguém dotado dessa capacidade que queira aceitar o desafio de o analisar, parágrafo a parágrafo? hum???

    :)

    ResponderEliminar
  20. É fantástica mesmo AnaMar (pseudónimo) :)

    ResponderEliminar
  21. Oi chrysaliis.... eu acredito que existem muitas pessoas que devem querer analisar mas...

    isso tem um risco muito grande :)

    ResponderEliminar

Deixa o teu comentário....
talvez a tua pequena decisão...

a nossa vida é feita de pequenas decisões que se transformam em grandes... por isso ... avança!

Possivelmente irá ter uma resposta minha... sim.. possivelmente vou-te responder...

E não te esqueças ... passa por cá novamente! És sempre bem vindo!